quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Desnorteada...

... Me sinto.
Situando-me algures entre os rodopios da Rosa-dos-Ventos
Que em lugar nenhum me deixa.
Ah!... Que triste ter queixa...
Mas lá vou esperando por um "para quê" ou "porquê"
Como quem busca o seu rumo.
Como quem não cessa da procura,
De achar luz no meio do fumo.
Permanecendo com o tempo.

3 comentários:

TITA disse...

A procura é eterna em nós.Prá frente é o caminho.Beijocas.

Anica disse...

Muito obrigada! Beijinho.

Anica disse...

Muito obrigada por tudo, Sara! :)