sábado, 2 de julho de 2011

Deixo-me levar...

... Nas correntes do sonho.
Conduzindo-me ao inimaginável.
Aos quês e porquês da minha alma.
Despreendendo-me do que me prende,
Do consciente que não mente.
E de regresso já previsto
Parto brevemente.

3 comentários:

Ale Quejinho disse...

Lindo post como sempre!
Agora estou conseguindo entrar na net, mas é lenta. Estou retribuindo a visita que me fez, amei.
Beijos aqui da França
Ale

TITA disse...

Partir é deixar um pouco de si em qualquer canto...Belo poema,filhota.Beijinho grande.

Anne Morais disse...

Olaaa


Gostei do poema :)



beijinhos

http://luta-por-um-sonho.blogspot.com